quarta-feira, 9 de abril de 2008

Dando continuidade a um poema de Luísa Ducla Soares…


Diz o avô

Tens braços compridos.
Mas porquê, avô?
Abracei muita gente
Na estrada onde vou.

Tens pernas longas.
Mas porquê, avô?
Caminhei muito
Na estrada onde vou.

Tens lábios gretados.
Mas porquê, avô?
Beijei muita gente
Na estrada onde estou.


Rafaela Nogueira,
Nº 25- 5º D (2007/2008)
(orientada pela profª Ana Madalena Melo)




Diz o avô

Tens tristeza agora.
Mas porquê, avô?
São os desencantos
Na estrada onde vou.

Tens sorrisos imensos.
Mas porquê, avô?
É a felicidade
Que por mim passou.


Eduardo Jorge Lima Pinto Barbosa,
Nº7, 5ºC ( 2007/2008)

(orientado pela profª Ana Madalena Melo)



Diz o avô

Nos lábios tens um sorriso.
Mas porquê, avô?
Passei bons momentos
Na estrada onde vou.

Tens os braços grandes.
Mas porquê, avô?
Para poder abraçar
Quem de mim gostou.

João Pedro
nº14, 5ªD (2007/2008)
(orientado pela profª Ana Madalena Melo)

1 comentário:

Geanina disse...

Ola!bonito blog,muito tierno e interesante