quarta-feira, 2 de abril de 2008



Meu Alentejo …


Papoilas vermelhas pelos montes.
Caminhos selvagens... Maduros !
Água azulada que corre pelas fontes ...
Oiro orgulho que dá o pão ... O trigo!
Alfaia que chora ... Chora comigo !
Ceifeira colhe a hora que passa.
Em hora divina ...
Alentejo do meu Coração ... Estou feliz!
Sou tua Menina!
Meus sonhos , meu Alentejo bonito ...
Os teus braços dentro dos meus abraços ...
Via Lactea fechando o Infinito.
A Seara dos teus beijos …
É Pão bendito!

Ao fundo da planície fica o povoado.
O riacho corre, e mata a sede ao gado,
que no montado está aconchegado.

... E eu á tua espera neste Alentejo enorme,
De olhos quietos a observar...
No silêncio da planície a escutar...
Sobreiro mestre que dorme...
Não vais partir ... Eu não vou deixar...

Luisa Raposo
( Amiga da nossa escola)

1 comentário:

Luisa Raposo disse...

Ó poeta ,

Rompeste grades , quebraste algemas !...
Libertastes o teu coração !
No ar esvoaçaram os poemas ...
Desprendeu-se linda canção ...
Ressoou doce sinfonia !!
E lado a lado com primor
em momentos de poesia ...
Tu com mestria , eu com amor .

Luisa Raposo